Connect with us

Notícias

SoftBank processa IRL por ‘esquema elaborado’ que consumiu US$150 milhões.

Publicado

on

O SoftBank, uma empresa japonesa de investimentos, está processando a ex-empresa de aplicativo social IRL por fraude, alegando $150 milhões de dólares em danos. A IRL, que tinha um valor de mercado de $1.1 bilhão de dólares na época, estava destinada a se tornar uma alternativa de organização de eventos para a geração Z, que está usando cada vez menos o Facebook. No entanto, uma investigação interna feita pelo conselho de diretores da IRL descobriu que 95% dos usuários do aplicativo eram falsos.

Segundo o SoftBank, a decisão de investir na IRL foi motivada pelos impressionantes números de usuários divulgados pela empresa. O aplicativo afirmava ter sido baixado por 25% dos adolescentes americanos com menos de 28 anos e estava crescendo com uma taxa de 400% ao ano. No entanto, de acordo com a investigação do conselho da IRL, nenhum desses números era preciso.

O SoftBank alega que não foi possível verificar os dados falsos de usuários da IRL, pois a empresa havia estruturado seu negócio de forma a evitar que o SoftBank desvendasse a fraude durante sua diligência prévia ao investimento. O SoftBank detalha suas tentativas de realizar a devida diligência antes de investir uma quantia de nove dígitos na IRL.

De acordo com as alegações do SoftBank, a IRL gastava dezenas de milhares de dólares em serviços de proxy para inflar fraudulentamente os dados de usuários com bots. Além disso, o SoftBank também acusa a IRL de pagar centenas de milhares de dólares por mês para uma empresa secreta operada pelo chefe de crescimento da IRL para encobrir esse esquema.

A reclamação do SoftBank afirma que, como a IRL não tinha nenhuma fonte de receita lucrativa, seu valor para um investidor externo como o SoftBank dependia das métricas de usuários ativos como fonte de potencial renda futura. Portanto, o SoftBank confiou na precisão das representações dos executivos da IRL quanto à quantidade e qualidade dos usuários da IRL.

O CEO da IRL, Abraham Shafi, não respondeu aos pedidos de comentários do TechCrunch. Shafi é nomeado como réu na reclamação, assim como cinco de seus irmãos e primos, que o SoftBank alega fazerem parte da conspiração para encobrir a fraude. Cada um desses membros da família vendeu ações comuns da IRL para o SoftBank em conexão com esses investimentos.

Quando o SoftBank teve acesso a um relatório de terceiros sobre o total de usuários e downloads da IRL, os dados mostravam que até a primavera de 2021, o aplicativo havia sido baixado apenas 9 milhões de vezes. Por outro lado, Shafi afirmava que o aplicativo tinha 12 milhões de usuários ativos mensais e que 2 milhões de eventos eram planejados diariamente na IRL. Shafi explicou essa discrepância dizendo que o número não considerava as sessões na web, nem os usuários menores de idade, cujos dados não podiam ser compartilhados.

“Na realidade, a plataforma era uma cidade fantasma virtual, cheia de bots que imitavam enganosamente usuários humanos ativos”, escreveu o SoftBank.

Além deste processo, a IRL está sendo investigada pela SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos) para determinar se o aplicativo violou leis de segurança ao enganar investidores.

Em suma, o SoftBank está processando a IRL por fraude devido à divulgação de números falsos de usuários e está buscando $150 milhões de dólares em danos. A investigação interna da IRL descobriu que a maioria dos usuários do aplicativo eram bots criados para inflar artificialmente os números. O SoftBank alega que não foi capaz de verificar essa fraude durante sua diligência prévia ao investimento, pois a IRL havia preparado seu negócio para ocultar a evidência de fraude. Além disso, a IRL está sendo investigada pela SEC para determinar se violou leis de segurança ao enganar investidores.