Connect with us

Notícias

Qual é o próximo passo quando o capital da sua startup está acabando e conseguir investimentos é difícil?

Publicado

on

O conceito de ter uma reserva de capital tem suas próprias regras para os fundadores de startups. Investidores com quem conversamos geralmente concordam que uma captação de recursos bem-sucedida deve deixar uma startup com 18 a 36 meses de capital e, quando uma startup possui cerca de 9 a 12 meses de dinheiro, ela deve começar a buscar sua próxima rodada de investimentos.

Mas o que os fundadores de startups devem fazer quando veem o final de sua reserva se aproximando rapidamente, os investidores desaparecendo e cada vez menos maneiras de obter mais capital?

Historicamente, o conselho mais citado e repetido tem sido cortar custos, em primeiro lugar.

Porém, as normas são para tempos normais. A economia não estava tão volátil há anos, e os founders de hoje precisam fazer um jogo quase perfeito: cortar custos estrategicamente onde vai doer menos, gerenciar a equipe para continuar crescendo, acompanhar de perto como o crescimento está se moldando e ajustar as taxas de consumo de recursos, entre outros.

Ainda assim, os ditados persistem por um motivo, e vários investidores concordam que cortar custos ainda é a melhor maneira de obter mais tempo de vida útil para o saldo bancário de sua startup, caso uma nova rodada de investimentos não esteja no horizonte.

“Lamentavelmente, muitas startups irão morrer. Esta é apenas a natureza do ambiente de captação de recursos no momento”, afirmou Qiao Wang, colaborador-chefe da Alliance DAO.

“Assim que uma startup percebe uma desaceleração significativa na receita ou uma diminuição no número de clientes, eles devem cortar custos, independentemente do que aconteça”, disse Christian Narvaez, fundador da Rayo Capital. “Esse seria o primeiro passo e ajudaria a estender a vida útil da startup, dando tempo para buscar investimentos. Em segundo lugar, se você está ficando sem capital, pense no que está acontecendo.”

Kelly Brewster, CEO do acelerador focado em bitcoins Wolf, enfatizou a importância de reconhecer as circunstâncias, especialmente se forem graves. “Existem apenas algumas alavancas que você pode puxar. Se você tiver apenas dois a três meses, não terá opções. Você deve pagar os funcionários as indenizações, as contas de impostos e encerrar a empresa. Ou, você pode se encontrar em uma situação difícil.”

Independentemente do resultado, se você tem menos de 9 meses de reservah, “você precisa reduzir o consumo de recursos e dispensar bons funcionários, infelizmente”, disse Qiao Wang, colaborador-chefe da Alliance DAO.

A grande maioria dos gastos das startups são com recursos humanos, ou seja, salários, e reduzi-los é a melhor maneira de reduzir despesas e estender a vida útil da empresa, disse Wang. “A maioria das startups simplesmente não precisa de tantas pessoas. A maioria dos fundadores adora contratar pessoas antes de terem encontrado o ajuste perfeito entre produto e mercado. Se eles dispensarem algumas pessoas, isso não reduziria suas chances de sucesso”, explicou.

As palavras de Wang são verdadeiras. Nos últimos anos, ficou comprovado que as empresas frequentemente super contratam, especialmente quando a empolgação, o medo de ficar de fora e o otimismo norteiam as decisões, em vez de uma consideração ponderada do que o negócio realmente precisa.

A melhor maneira de avaliar o que é necessário gastar é não escalar prematuramente, segundo um gerente de portfólio responsável por mais de 300 portfólios da web3. “Se o produto não está se encaixando no mercado, não amplie sua equipe de desenvolvimento de negócios ainda. E o contrário também é verdadeiro: se você ampliou o negócio cedo demais, é melhor reconsiderar. Você realmente precisa de uma equipe de 30 pessoas ou poderia lidar com menos? O equilíbrio está na qualidade do talento”, disse, solicitando anonimato.