Connect with us

Notícias

Google Combate Spam no YouTube Shorts ao Desativar Todos os Links

Publicado

on

No final de agosto de 2023, o Google implementará uma medida para reduzir o spam no YouTube Shorts, desabilitando todos os links presentes na plataforma. Embora os links ainda apareçam em vídeos, comentários e descrições, não será mais possível clicar neles. Até o final de setembro de 2023, o Google irá introduzir novas formas para que os criadores de conteúdo possam se conectar a outros conteúdos.

Se você já assistiu a um vídeo curto popular no YouTube Shorts, é provável que tenha notado diversos links. Além das descrições dos criadores, eles também podem ser encontrados nas transmissões ao vivo verticais e, de maneira mais notória, nos comentários. É bastante simples tocar em um desses links e ser direcionado… para algum lugar.

O desafio aqui é que essa facilidade de acesso aos links pode ser explorada por golpistas e spammers. Como resposta a essa preocupação, o Google anunciou hoje que combaterá o spam no YouTube Shorts ao essencialmente desativar a maioria dos links ativos na plataforma.

Vale esclarecer que links enviados pelos usuários ainda serão permitidos. No entanto, não será mais possível clicar neles diretamente. Caso um usuário deseje acessar um link, terá que digitá-lo manualmente na barra de endereços do navegador, embora poucas pessoas optem por essa abordagem.

Essa alteração entrará em vigor a partir de 31 de agosto de 2023. Adicionalmente, a partir de 23 de agosto, uma nova seção será disponibilizada no aplicativo do YouTube para criadores de conteúdo, permitindo que eles insiram links clicáveis. O Google também promete que, até o final de setembro, haverá uma nova maneira para os criadores adicionarem links de maneira segura a outros conteúdos do YouTube. Em resumo, todos os links clicáveis dentro e ao redor de um vídeo curto serão provenientes do criador do conteúdo.

Resta aguardar para ver como essa ação contra o spam no YouTube Shorts impactará os usuários e criadores da plataforma.

Fonte: Android Authority