Connect with us

Notícias

Esta agência da Califórnia quer saber o que acontece com todos os dados dos carros conectados.

Publicado

on

As agências de proteção de privacidade da Califórnia anunciaram planos de revisar as práticas de privacidade de dados das montadoras de automóveis que produzem e vendem veículos conectados com recursos de mineração de dados. Esses recursos incluem câmeras, compartilhamento de localização, entretenimento online e integração com smartphones.

Essa revisão é a primeira nos Estados Unidos, onde as montadoras de automóveis desfrutam de um ambiente de privacidade de dados mais flexível em comparação com a Europa. No entanto, isso pode mudar em estados como a Califórnia, Connecticut, Colorado, Utah e em breve Virgínia, que têm leis de privacidade de dados.

A revisão será conduzida com base na Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia, que foi adotada em 2018 e garante aos indivíduos o direito de saber quais informações pessoais são coletadas sobre eles pelas empresas, o direito de excluir essas informações e o direito de impedir a venda ou compartilhamento das mesmas.

A preocupação com a privacidade de dados em veículos conectados tem crescido nos últimos anos. Esses veículos coletam automaticamente informações sobre a localização, preferências pessoais e outros detalhes da vida diária dos consumidores. Com o avanço da tecnologia, como sistemas avançados de assistência ao motorista e integração com smartphones, essas preocupações têm se intensificado.

A Agência de Proteção à Privacidade da Califórnia estima que existam mais de 35 milhões de veículos registrados no estado. Além disso, milhões de veículos registrados em outros estados também circulam por estradas da Califórnia. Isso tem impacto não apenas para os proprietários dos veículos, mas também para clientes de serviços de transporte por aplicativo e até mesmo pedestres.

Os veículos conectados à internet geram enormes quantidades de dados, que são compartilhados com os fabricantes e armazenados por anos. Esses dados podem ser compartilhados ou vendidos para corretores de dados, que os combinam com informações de navegação na web e dados de telefone para criar perfis de usuários e direcionar publicidade personalizada.

Além disso, esses dados podem ser obtidos por agências de aplicação da lei, que podem solicitar informações dos sistemas de entretenimento embarcados nos veículos. Isso levanta questões de rastreamento e vigilância.

Empresas como Google e GM garantem que tratam os dados de acordo com suas políticas de privacidade e que os motoristas têm opções para alterar as configurações de privacidade dos aplicativos e serviços oferecidos por elas.

Em resumo, a revisão das práticas de privacidade de dados das montadoras de automóveis é uma medida importante para proteger a privacidade dos consumidores em um ambiente cada vez mais conectado. Com as leis de privacidade de dados se expandindo em diferentes estados dos EUA, é provável que haja uma maior regulamentação nesse setor.