Connect with us

Notícias

4 maneiras como a IA generativa torna os fundadores mais interessantes para os jornalistas

Publicado

on

Em um mundo cada vez mais dominado pela inteligência artificial, estratégias eficazes de relações públicas (PR) são essenciais para o sucesso das startups. Com o surgimento de sistemas de IA generativa, como o ChatGPT, pode-se esperar uma mudança significativa na forma como as empresas abordam a PR nos próximos anos. No entanto, mesmo com o avanço dessas tecnologias, é importante lembrar que as pessoas ainda valorizam histórias humanas e autênticas.

Enquanto a IA generativa pode melhorar as capacidades de muitas publicações e até mesmo ser utilizada para produzir conteúdo de thought leadership e PR, a questão é que se qualquer pessoa pode fazer isso, o conteúdo produzido perde seu valor. A internet já está saturada com artigos profissionais, mas impessoais e sem vida. O verdadeiro diferencial está em contar histórias que transmitam emoção, narrem experiências da vida real e sejam autênticas.

Felizmente, essa situação impulsiona a evolução das práticas de PR para as startups. As equipes de PR internas precisam buscar elevar o nível de seus conteúdos, destacando-se do mar de informações tediosas. Agências de PR devem mostrar às empresas por que não devem usar ChatGPT para fazer o trabalho delas. Os editores demandam artigos originais e autênticos, ao invés de conteúdos reciclados. É preciso, portanto, que a PR, juntamente com o thought leadership escrito por humanos, se diferencie claramente do conteúdo produzido por IA.

Uma estratégia de PR bem-sucedida no contexto da IA generativa aproveitará os eventos atuais (e futuros). A AI não tem a capacidade de acompanhar as notícias em tempo real, pois sua base de treinamento é composta por dados passados e publicados online. Isso significa que os jornalistas e leitores têm interesse em líderes empresariais que possam fornecer uma opinião rápida e informada sobre eventos recentes e tendências relevantes.

A tendência é que os jornalistas se afastem de assuntos genéricos e comuns que podem ser facilmente cobertos por IA, como artigos de aconselhamento ou listas de dicas. Em vez disso, eles terão mais tempo para escrever sobre eventos atuais e tendências relevantes, adicionando comentários e reflexões pertinentes às suas matérias.

Para se destacar nesse cenário, é necessário monitorar a mídia diariamente em busca de eventos atuais, inserir-se em notícias em tempo real, oferecer opiniões e comentários sobre temas específicos e até mesmo buscar se tornar especialista em assuntos além do seu nicho de mercado. Essa estratégia de divulgação deve sempre estar alinhada à missão da empresa e às mensagens-chave que deseja transmitir.

Além de ser oportuno, uma das grandes diferenças entre você e o ChatGPT é que você tem relacionamentos pessoais e acesso a informações privadas que uma IA não possui. Os jornalistas valorizam a capacidade de trazer insights do “mundo real”, como a opinião de colegas e parceiros de negócios sobre determinado assunto, assim como as conversas e discussões que você acompanha no seu círculo profissional.

Por fim, é importante ressaltar que você também pode antecipar o futuro. Um verdadeiro especialista em determinada indústria consegue enxergar o que está acontecendo no mercado, fora do ambiente online, buscar opiniões de outras pessoas influentes e oferecer previsões sobre tendências futuras. Porém, é crucial ter cuidado para não errar em suas previsões, pois a credibilidade também é importante nesse processo.

Em suma, as estratégias eficazes de PR no contexto da IA generativa requerem a habilidade de se inserir em eventos atuais e futuros, oferecer insights valiosos e autênticos, estabelecer relacionamentos pessoais e adotar uma abordagem humana e voltada para o futuro. Gratenseja de palavras, tornando o artigo mais abrangente e informativo.